Biografia

Biografia


Formada em Artes Plásticas pela FAAP em 1980, a artista contemporânea brasileira Patricia Furlong iniciou sua trajetória em 1986  com as exposições individuais Tempo de Ishtar no Lyngby Kunstforening – Copenhagen, Dinamarca, e na Galeria Casa do Brasill - Roma, Itália. Seguiram-se Sempiternos na Galeria Sadalla - SP  e na Galeria Arte&Fato - RS, ambas em 1988, além de exposições coletivas: Jovens Artistas, Galeria Montesanti - SP em 1987; Panorama de Arte Brasileira,  Arte sobre Papel, MAM/SP em 1987;A Barca do Sol no Museu de Arte de Santa Catarina - SC em 1989.   Nesse ano a pintura que vinha desenvolvendo dá lugar à pesquisa de conteúdos e suportes do universo gráfico urbano e de suas potencialidades simbólicas. Realiza a exposição individual Vedações em 1992 na Galeria São Paulo - SP e no MAM - SP  em 1993,  a individual Raspadinha no Museu de Arte de Ribeirão Preto - SP em 2003 e no Centro Universitário MariAntonia - SP em 2004. 


Em 2005 o interesse da artista pela paisagem urbana cede espaço para a paisagem natural, principalmente a de jardins.  Continua a pesquisa que vinha desenvolvendo ao investigar o significado simbólico dessa paisagem em procedimentos como a pintura de cavalete, a fotografia e a colagem. Com isso a reinvenção de significados característica de sua obra ganha nova dimensão. Em 2012 expõe individualmente na Galeria Logo, São Paulo e em 2017 na Galeria Rabieh, São Paulo. 


Participa de diversas exposições coletivas, entre elas: Brazilian Contemporary Art em Tóquio, Japão, em 1993, VII Bienal Internacional de La Habana - Havana, Cuba, em 2000; Panorama de Arte Brasileira no MAM/SP em 1999; XSXL no Espaço dos Correios – Rio de Janeiro, e Museu Metropolitano de Arte/PR em 1999; Panorama de Arte Brasileira no Centro Dragão do Mar/Fortaleza e MAC/Niterói em 2000; Coleção Metrópolis, Pinacoteca do Estado, São Paulo em 2002; Em Branco na Bolsa de Arte em Porto Alegre, 2004, Palácio das Artes em Belo Horizonte, 2006, Galeria Referência em Brasília, Casa das Onze Janelas em Belém, ambas em 2008, Contraponto em São Paulo, 2011,  Centro Brasileiro Britânico, São Paulo, em 2016 e Museu de Arte do Rio Grande do Sul, RS, também em 2016, entre outras.  Ministrou cursos em instituições como as Oficinas Culturais Oswald de Andrade, Museu Alfredo Andersen,  além de escolas como a Móbile, o Núcleo de Arte,  e Ebart, de Zélio e Ziraldo Alves Pinto.  Também desenvolveu e coordenou os projetos: Miró - São Paulo, Pincel e Papel no MAM/SP em1995, e O Desenho e seus Papéis no SESC/SP em 2002 . Em 1998 é selecionada para desenvolver, coordenar e executar um painel de 640 m2  na fábrica da Renault em São José do Pinhal no Paraná tendo o projeto sido implantado naquele mesmo ano.

Suas obras constam em acervos de importantes instituições e museus, como:  Instituto Figueiredo Ferraz – SP, Museu Casa das Onze Janelas - PA; Pinacoteca do Estado de São Paulo - SP; Museu de Arte de Santa Catarina - SC; Museu de Arte Contemporânea de São Paulo - SP; Museu de Arte Brasileira - SP; Universidade de São Paulo - SP; Banco Itaú, - SP; Fundação Padre Anchieta - SP.